Sobre o Colesterol Parte 1

Uma molécula que saiu dos livros de química e acabou no vocabulário comum da sociedade. Num crescente interesse na comunicação social e cada vez mais presente na vida quotidiana das pessoas, esta molécula desempenha um papel fundamental no nosso organismo, e, ao mesmo tempo, está relacionada com muitas doenças cardiovasculares. 
 
Contrariamente ao que se pensava antigamente o colesterol em si não é prejudicial. Na verdade, o colesterol é apenas uma das muitas substâncias produzidas e usadas pelo nosso organismo. Quimicamente é definido como um álcool monoídrico não saturado, com propriedades semelhantes às gorduras (lípidos). Este desempenha diversas funções essenciais ao bom funcionamento do organismo como: construir e manter a membrana celular; regular a fluidez da membrana a diferentes temperaturas e reduzir a permeabilidade desta aos iões de hidrogénio e sódio. Ajuda, também na síntese da bile (que é armazenada na vesícula biliar que ajuda a digerir gorduras), é ainda importante no metabolismo de vitaminas lipossulúveis, incluindo as vitaminas A, D, E e K. O colesterol é o principal precursor para a síntese de várias hormonas esteróides (que incluem o cortisol e a aldosterona nas glândulas supra-renais), e hormonas sexuais (progesterona, estrogénio, testosterona e derivados).
O colesterol provém de duas fontes: do nosso corpo e da nossa alimentação. O fígado é o principal órgão que sintetiza esta substância representando cerca de 70% (esta percentagem inclui outros locais de síntese, só que em menor quantidade, são eles o intestino, glândulas adernais e órgãos reprodutivos), enquanto os restantes 30% derivam da alimentação.  
Actualmente, sabe-se que o colesterol desempenha importantes funções no organismo, mas também sabe-se que está directamente relacionado a problemas cardiovasculares graves. Se o colesterol é tão importante, porque está este associado a doenças?
O colesterol é uma substância insolúvel em água e, consequentemente, insolúvel no sangue. Para ser transportado na corrente sanguínea o colesterol liga-se a proteínas e lípidos, formando um complexo chamado Lipoproteína. Existem vários tipos de lipoproteínas, e estas podem ser classificadas de diversas maneiras. O modo pelo qual os bioquímicos geralmente as classificam é baseado na sua densidade. Entre estas, estão:
  • Low-Density Lipoproteins” (lipoproteínas de baixa densidade, que são prejudiciais ao ser humano), ou LDL, são capazes de transportar o colesterol do local de síntese, o fígado, até células de vários tecidos.
  • High Density Lipoproteins” (lipoproteínas de alta densidade, que são benéficas ao ser humano), ou HDL, capazes de transportar o excesso de colesterol dos tecidos de volta para o fígado, onde é utilizado para a síntese do ácido biliar.
  • Very-Low Density Lipoproteins” (lipoproteínas de muita baixa densidade, prejudiciais ao ser humano), ou VLDL, são sintetizadas pelo fígado e transportam triglicerídeos para os músculos e para o tecido lipidinoso. Os triglicerídeos são uma forma de gordura produzida no corpo (níveis elevados desta gordura podem ser consequentes de excesso de peso/ obesidade, inactividade física, tabagismo, consumo excessivo de álcool e uma dieta rica em carboidratos). As proteínas VLDL à medida que perdem triglicerídeos podem recolher mais colesterol e tornarem-se LDL.

É, então, a forma como o colesterol é transportado na corrente sanguínea que define se este é prejudicial ou não ao nosso organismo.
Mas porque é tão importante manter o Colesterol baixo (menor que 200,0 mg/dL)?
VALORES PARA ADULTOS EM mg/dl
Colesterol t
otal
Abaixo de 200
LDL colesterol
Abaixo de 130
HDL colesterol
Acima de 35
Triglicerídeos
Abaixo de 200

A lipoproteína LDL, quando em excesso tende a acumular-se nas paredes dos vasos sanguíneos formando placas de gordura, os ateromas, que com o decorrer do tempo podem “entupir” as artérias. Este processo chamado de ATEROSCLEROSE é o grande responsável pelo enfarte agudo do miocárdio e derrame cerebral.

 
O aumento do colesterol LDL está ligado a dois factores principais: genético e dieta. Pessoas com parentes directos com colesterol alto ou com histórico na família de arteriosclerose devem controlar o seu colesterol. Já uma dieta rica em gorduras saturadas, gorduras trans e colesterol aumenta os níveis de LDL no sangue.
INFO:
Gordura insaturada: presente principalmente em vegetais. Divide-se em a monoinsaturada (com apenas uma ligação dupla de carbono) e a polinsaturada (com mais de uma ligação dupla de carbono). Está presente, por exemplo, no azeite de oliva, óleo de milho, amêndoa, abacate, truta, salmão. Ajuda a reduzir o colesterol LDL, triglicerídeos e pressão arterial
Gordura saturada: gordura encontrada principalmente nos produtos de origem animal. É encontrada nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves), leite gordo e derivados (manteiga, iogurte, nata). Aumenta o colesterol LDL.
Gordura Trans (ou hidrogenada): gordura formada por um processo químico (hidrogenação), no qual óleos vegetais líquidos são transformados em ácido graxo trans, uma gordura sólida. É normalmente encontrado em margarina, biscoitos, batatas fritas, gelados, salgadinhos, etc.

Bibliografia: 

Acesse o blog http://books.jar.io para baixar ebooks free em diversos formatos.
Acesse http://torrents.jar.io para acessar diversos materiais disponíveis em torrents (magnetliks).
O blog http://ervas.jar.io publica sobre diversas metodologias de cultivos e propriedades das ervas.